Como levar o seu animal de estimação para a Austrália

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

A Austrália é um país muito rígido com as leis de biossegurança. O país trabalha incansavelmente para garantir a segurança da sua fronteira, uma vez que o continente é livre de algumas das piores doenças do mundo como a febre aftosa e a gripe aviária. Por isso, o Departamento de Agricultura e Recursos Hídricos exige uma porção de pré-requisitos para a entrada de animais de estimação na Austrália, já que pragas e doenças dos animais podem causar impactos gigantescos na indústria agropecuária australiana, um dos pilares mais importantes da economia do país.

Mas não desanime! Mesmo que seja burocrático, o processo não é impossível! E se você pretende fazer um intercambio na Austrália, mas não quer deixar o seu bichano para trás, nós separamos tudo o que você precisa saber para trazer o seu animalzinho para a terra dos cangurus:

O PRIMEIRO PASSO

Importar seu pet para a Austrália pode ser uma tarefa árdua, mas é possível! O primeiro passo começa em identificar se o país de origem faz parte da lista de destinos pré-aprovados pelo governo australiano. Infelizmente o Brasil não é um desses países, por isso, primeiramente, você deve exportar o seu pet para um dos países da lista. Nossos vizinhos Argentina e Paraguai, por exemplo, estão nessa lista e um veterinário oficial do governo irá realizar exames e testes antes de liberar o envio do seu animalzinho para a Austrália.

Confira a lista de países autorizados e os documentos para importação no site do departamento de Agricultura e Recursos Hídricos da Austrália.

LICENÇA DE IMPORTAÇÃO

Após a avaliação feita por um veterinário credenciado pelo governo australiano, o estudante deve solicitar ao Departamento de Agricultura e Recursos Hídricos uma licença de importação. O pedido envolve o pagamento de algumas taxas que você confere abaixo:

  • Primeiro cão ou gato em uma remessa – $480 dólares ($120 dólares da apresentação e $360 dólares da avaliação);
  • Para cada animal adicional, posteriormente, na mesma remessa – $240 dólares ($120 dólares da apresentação e $120 dólares da avaliação).

A aplicação da licença pode ser feita online em um sistema chamado BICON (Biosecurity Import Conditions System). Confira os documentos necessários nesse link do site do departamento responsável.

QUARENTENA

Mesmo que o seu país esteja ou não na lista, o seu bichinho deve completar um período de quarentena em uma instalação Australiana. A quarentena mínima é de 10 dias, mas vale ressaltar que, dependendo do risco que o animal possa trazer para o continente, ele pode passar por uma longa estadia.

Antes da chegada do animal, o estudante deve reservar uma instalação de quarentena. O processo envolve o levantamento de alguns documentos e o pagamento de duas taxas referente ao custo da instalação e permanência do animal durante o período de isolamento. Para isso os estudantes devem seguir os passos abaixo:

  • Preencher uma autorização de importação e com ela em mãos, fazer uma reversa provisória de uma instalação junto do Departamento de Agricultura e Recursos Hídricos;
  • Após receber a confirmação efetuar o pagamento da primeira taxa (Referente às inspeções veterinárias, avaliação de documentos, taxas de instalação e certificações);
  • Aprovar junto à companhia aérea o envio o animal.

Antes da retirada do animal o estudante deve pagar a segunda taxa referente ao tratamento parasitário, duração adicional de isolamento ou despesas de terceiros. Consulte informações sobre as taxas nesse link do site do departamento de Agricultura e Recursos Hídricos da Austrália.

Ebook Guia de Custo Intercâmbio na Austrália


CÃES-GUIAS

As condições para importação de um cão-guia são as mesmas que para a importação de um cão normal. Entretanto, o estudante internacional que necessite trazer um cão-guia para a Austrália deve realizar alguns procedimentos adicionais como reunir provas que provem a necessidade da importação do cão. Além disso, o intercambista deve preencher alguns documentos e formulários como:

Declaração de que o cão tem prestado serviço contínuo para o estudante por pelo menos seis meses antes da importação;

Declaração de concordância com as condições de quarentena após a chegada à Austrália;

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Formulário de declaração médica prescrito por um médico credenciado que comprove a dependência do estudante de um cão-guia;

Declaração de uma entidade representante dos cães-guias atestando a formação especializada do animal (Federação Cão Guia Internacional ou Assistência Internacional de Cães;

Preencher formulário de pedido de importação;

Baixar, preencher e enviar o formulário de inscrição manual (correio, fax ou digitalizar e-mail).

INTERCÂMBISTA OTIMISTA – LEVANDO O MEU PET PARA A AUSTRÁLIA

Agora que você já se informou de todos os trâmites pra levar o seu pet para a Austrália, que tal acompanhar a história de quem já passou por tudo isso? A WEST 1 TV entrevistou a Gabi, estudante em Melbourne que levou dois gatinhos (a Kira e a Maia) para morar com ela e o marido na Austrália. No vídeo ela explica exatamente como foi o processo de importação dos seus animais de estimação do Brasil para a Austrália. Confira!

 

Dicas da Gabi

Como você viu no vídeo, a Gabi diz que pesquisou muito durante todo o processo para levar os gatinhos para a Austrália. Abaixo listamos os links mencionados por ela que poderão ajudar você caso esteja pensando em levar o seu pet para a Austrália:

Brasileiros levando animais para a Austrália

Departamento de Agricultura da Austrália

Latam Pet Transport

 

Curtiu o post? Então compartilhe ele nas redes sociais e assine a nossa newsletter para receber mais conteúdo sobre intercâmbio na Austrália direto no seu email.

 

    Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

    Você também pode gostar

    Deixe um comentário