Case de sucesso: como a WEST 1 ajudou o Henrique Mota a ter uma experiência de intercâmbio memorável?

7 minutos para ler
Powered by Rock Convert

“Eu não chamo de intercâmbio o que estou vivendo. É muito mais do que isso”. Para Henrique Mota, faltam palavras para descrever essa experiência. Recifense, 28 anos de idade e formado em Publicidade e Propaganda, em um intercâmbio na Austrália, ele descobriu uma vida sem rotinas.

Para quem precisou se mudar da capital pernambucana para São Paulo, a maior metrópole brasileira, a multiculturalidade já parecia ser um parceiro antigo. Mas, às vezes, há momentos em que algumas coisas não fazem sentido e precisamos buscar novas aventuras.

Assim, embarcar em um intercâmbio foi, para ele, uma escolha acertada. Quer entender por quê? Continue lendo este post e acompanhe mais esse case de sucesso WEST 1.

Um novo mundo

Coragem, sonhos e planos na bagagem. Se um intercâmbio parece algo comum, atravessar o mundo logo na primeira viagem internacional, com certeza, não é. O destino era algo intuitivo: desde criança Henrique tinha uma enorme vontade de conhecer a Austrália.

Paradoxal ou não, buscar tão distante um lugar diferente e, ao mesmo tempo, tão parecido com sua cidade natal foi o que inquietou o publicitário e designer. A cidade? Gold Coast.

E não é difícil entender essa escolha. Praia, mar e surf, nada poderia ser mais instigante. Sem contar ainda a variedade cultural, gosto que foi mais do que atendido, já que Henrique sempre se interessou em conhecer estilos de vida e culturas diferentes.

A oportunidade que aquele país tem dado a estrangeiros, oferecendo maneiras de participar do avanço econômico local, foi um dos motivos que o incentivou a buscar a Austrália por meio da WEST 1.

Estudos e trabalho

No Brasil, Henrique estava acostumado a trabalhar com Design e com estratégia. “Em São Paulo, aprendi como ser útil economicamente ajudando marcas, pessoas e projetos com Comunicação para serem mais expressivos”, conta Henrique. Foi esse, então, mais um elemento que carregou em sua bagagem para essa aventura: a experiência.

Assim, ao ir para a Austrália, não pensou duas vezes: tirou o visto de estudo e de trabalho. Dessa maneira, teria oportunidades nos dois âmbitos e poderia aproveitar o intercâmbio para se desenvolver de diversas maneiras.

Ao chegar no país, logo fez um curso de inglês na General English para melhorar o aprendizado da língua. Em seguida, quando se sentiu mais à vontade com o idioma, viu que era a hora de experimentar novos rumos.

Fez cursos vocacionais, investindo em um de Gerenciamento de Projeto, o que o ajudaria com sua nova realidade: a de freelancer e de nômade digital. “Eu saí do modelo de agências de publicidade para trabalhar por conta própria, então, assumi a função de gerenciar o meu projeto como autônomo, gerindo os projetos de todos os meus clientes”, diz Henrique.

Em seguida, fez um curso de Design para se aprimorar e atender melhor seus clientes. E foi aí que surgiu aquela que talvez tenha sido a maior oportunidade do intercâmbio de Henrique. O publicitário desenvolveu um projeto e, com o patrocínio de uma escola australiana, a Entrepreneur Education — voltada para empreendedores —, tem tido cada vez mais oportunidades de se tornar um profissional ainda mais bem preparado.

Sem rotinas

Se tem uma coisa da qual Henrique sempre tentou fugir foi a rotina. Para ele, dias comuns, monótonos, com um emprego fixo, horários-padrão nunca foram nada atraentes. Dias úteis para ele não existe: todos os dias são úteis. “Se tiver um dia inútil, eu prefiro não vivê-lo”, afirma Henrique. Por isso, resume seu intercâmbio em uma só palavra: incrível.

Segundo ele, essa experiência permite aprender todos os dias, não apenas na sala de aula, mas com a vida no geral. Até o modo de viver ele fez questão de mudar. Por ser mais produtivo como Designer de madrugada, modificou seus horários para se adequar a isso.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Conforme ele conta, quando todos estão acordando, ele já trabalhou e está livre para fazer o que quer. Dormindo às 18 horas e acordando às 2 horas da madrugada, Henrique aproveita para trabalhar até de manhã cedo e então vai aproveitar o dia.

Dependendo dos compromissos agendados (aula, reuniões com cliente, e-mails para enviar, projetos para fazer), consegue pegar umas ondas e curtir o dia. Sem dúvidas, ele não poderia estar em lugar melhor, dadas as possibilidades que a cidade e que o país dão.

E foi nesse lugar que Henrique encontrou um novo sentido para a vida. Foi onde passou um tempo curtindo o país, trabalhou em hostel em troca de moradia e até mesmo morou por um tempo em uma van adaptada, a qual ajudou o dono a construir.

A WEST 1 TV foi acompanhar um dia na vida do Henrique na Gold Coast e você confere o lifestyle do estudante no vídeo a seguir.

Ainda, na palavra “colaborar”, encontrou um sentido para si e para outras pessoas também. Para Henrique, é preciso “empreender a própria vida”. Com esse pensamento, busca incentivar a comunidade brasileira por meio do seu blog Céu Aberto e do movimento “Empreender é Uma Viagem” — sendo este o projeto no qual contou com o apoio da Entrepreneur.

O objetivo? Mostrar que por meio da colaboração podemos explorar a melhor versão de nós mesmos e que toda habilidade que temos é uma forma de sermos recompensados.

Parceria com a WEST 1

Como nem tudo são flores, Henrique já passou por alguns perrengues durante o intercâmbio. Trabalho, estudo, moradia, viagens: os apertos já surgiram pelo menos uma vez em cada uma dessas questões. Para isso, ele ressalta que foi preciso estar preparado e ter a quem recorrer.

“A WEST 1 sempre foi esse meu ‘amigo australiano’ que me aconselha e que me dá dicas de como resolver meus problemas de maneira simples”, conta Henrique. Segundo ele, é um alívio saber que sempre que precisar, é só “mandar um ‘oi'”, como ele mesmo diz, que a assessoria estará sempre disponível para ajudar.

Ele conta também que conheceu a WEST 1 por meio de pesquisas, assim que definiu que iria para a Austrália. Segundo ele, o principal motivador foi saber que a empresa é de um brasileiro, mas é em si australiana. Saber que, ao colocar os pés no país desconhecido, teria alguém para dar as boas-vindas e que seria apenas o pontapé inicial para o começo dessa grande parceria.

E, somada a essa decisão, veio o sensação de admiração. Henrique afirma que toda vez que tem contato com alguém da agência, “é quase um parente que olha para você com orgulho e diz: ‘feliz desse jeito, esse menino vai longe!'”.

Geograficamente ou como pessoa, Henrique foi, sim, longe. Abriu horizontes, voou alto e se tornou dono da sua jornada. Se você pensa em ter uma aventura assim, a dica dele é: “pense bem no que quer para sua vida, pesquise, informe-se e lembre-se: intercâmbio é um investimento alto para sonhar pequeno. Aproveite bastante, do começo ao fim!”.

Ficou empolgado com esse case de sucesso WEST 1 e também quer se aventurar em um intercâmbio? Nós podemos ajudar você! Entre em contato conosco e prepare-se para curtir essa experiência!

 

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Deixe um comentário