Levando a família para a Austrália

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Uma dúvida recorrente para aqueles que possuem uma família, mas sonham em estudar na Austrália é sobre como trazer a família para a terra dos cangurus. O fato é que a maioria dos vistos de estudante dão a permissão para que o intercambista possa trazer seus familiares e dependentes para a Austrália. Contudo, para que isso seja efetivamente aplicado o estudante deve tomar alguns cuidados. Listamos abaixo as informações mais importantes para quem planeja estudar na Austrália e compartilhar desses momentos incríveis na presença da família.

– MEMBROS ELEGÍVEIS

O primeiro passo é declarar todos os membros da família no pedido de visto, mesmo que você não tenha a intenção de viajar com eles. Fazendo isso você torna o cônjuge e os filhos elegíveis para a concessão do vistos de estudante, para que eles possam acompanha-lo na Austrália. Assim como o intercambista os membros da família precisam cumprir alguns requisitos básicos para que eles sejam elegíveis como critérios de união, saúde e até mesmo caráter.

Cada pedido de visto é analisado e considerado a partir de méritos individuais pela embaixada Australiana. Como dito anteriormente a maioria dos vistos permite que o estudante internacional possa entrar e permanecer na Austrália com a família.

– COMPROVAÇÃO DE CASAMENTO

O primeiro passo na hora de planejar o intercâmbio com a família é a comprovação da união. Em alguns casos, a embaixada pode solicitar documentos adicionais à certidão de casamento, como, por exemplo, em casamentos recentes, evidências da validade da união, ou para União Estável em específico, a declaração deve ter sido emitida há pelo menos 12 meses. Outras evidências que podem ser solicitadas são cópias das 12 últimas contas no nome do casal, cópias de contrato de aluguel em nome das duas pessoas, conta conjunta, reserva em hotéis e etc, ou seja, tudo o que comprove que a união tenha pelo menos 12 meses.

– COMPROVAÇÃO DE DEPENDENTES

O estudante que pretende trazer a família para a Austrália deve comprovar o relacionamento de cada membro, através de certidões e comprovantes. Caso a família tenha filho(s) dependentes é necessário que seja apresentada a certidão de nascimento da(s) criança(s). O Departamento de imigração classifica o(s) filho(s) dependentes de duas maneiras:

– Crianças de 0 a 5 anos – São consideradas dependentes, entretanto não precisam estar matriculadas em uma escola.

– Crianças de 6 a 17 anos – São consideradas dependentes, contudo precisam estar matriculadas em uma escola australiana.

Desta forma, se você pretende trazer filhos em idade escolar durante o período de intercâmbio a criança precisará estar matriculada e frequentar a escola na Austrália. As taxas e os requisitos variam entre os estados e territórios australianos. Segue abaixo uma lista com o Departamento de Educação de cada região para consulta dos detalhes e das taxas aplicadas:

Australia Capital Territory

New South Wales

Northern Territory

Queensland

South Australia

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Victoria

Tasmânia

Western Australia

Filhos maiores de 18 anos não são classificados como dependentes. Neste caso, deve ser aplicado um visto específico para que o membro possa viajar pela Austrália com a família.

 – TRABALHO VS ESCOLA VS FAMÍLIA

Uma dúvida constante dos estudantes que pretender trazer a família para a Austrália é quanto ao trabalho. Qualquer intercambista que possua um visto de estudante pode trabalhar legalmente por 40 horas quinzenais ou full time durante o período de férias na Austrália. Os outros membros da família, como cônjuges, possuem privilégios semelhantes.

Para estudantes internacionais de licenciatura, graduação e pós- graduação, o cônjuge pode trabalhar por até 40hs quinzenais. Já para estudantes de mestrado e doutorado o parceiro tem o direito de trabalhar full time e ilimitado.

– COMPROVAÇÃO FINANCEIRA

O estudante que pretende trazer a família para a Austrália deve comprovar, além dos AU$ 1.691,00 dólares mensais, uma renda de 35% a mais por mês para o dependente maior de idade (AU$ 7,100 no ano), para custo de vida em geral além do equivalente necessário para a passagem aérea de retorno ao país de origem.

No caso de filhos menores de 6 anos o estudante precisará comprovar um valor complementar de AU$ 3,040 mil por ano (mais passagem aérea), para cada criança menor de 18 anos. Os filhos entre 6 e 18 anos, deverão obrigatoriamente estar matriculados em uma escola do governo e os custos – assim como algum benefício – pode variar de acordo com o estado escolhido pelo estudante.

– DOCUMENTAÇÃO E TAXAS PARA O VISTO FAMILIAR

A documentação para aplicação do visto para o cônjuge é semelhante à do estudante: Passaporte, RG, histórico profissional e escolar. Contudo, como informamos acima, a embaixada irá solicitar a certidão de casamento ou documento de união instável. Para os filhos de até 5 anos é requerida a apresentação do passaporte, RG, certidão de nascimento e foto 3×4, já para crianças de 6 a 17 anos, além dos documentos básicos, é necessário apresentar a carta da escola (Confirmation of Placement – COP). Para os filhos, independente da idade, é exigida a apresentação do Formulário 1229 assinado pelos pais. As taxas de visto são de: AU$ 575,00 (estudante), AU$ 430,00 (Cônjuge) e AU$ 140,00 (para cada filho).

Quer saber mais sobre o intercâmbio em família? Então confere abaixo o video incrível feito pela WEST 1 TV sobre o assunto:

 

A princípio trazer a família para compartilhar dos momentos e experiências incríveis que o intercâmbio oferece pode parecer um bicho de sete cabeças, mas com o auxílio de uma agência de intercâmbio séria e especializada, esse processo se torna prazeroso e gratificante. A WEST 1 conta com um time de consultores educacionais especializados para fornecer a você toda orientação e suporte em todas as etapas do seu intercâmbio, desde o planejamento ainda no Brasil até o dia-a-dia na Austrália ou na Nova Zelândia.

 

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Um comentário em “Levando a família para a Austrália

Deixe um comentário