Conheça 7 superstições estrangeiras incomuns

4 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Um dos principais aspectos que fazem as pessoas se apaixonarem por outros países é a cultura. Nesse sentido, conhecer as superstições do destino que você sempre sonhou em visitar pode deixá-lo ainda mais ansioso para a viagem.

Pensando nisso, pesquisamos dezenas de superstições estrangeiras e reunimos algumas neste post. Que tal ler até o final para descobrir quantas você já conhecia e a mais incomum? É só continuar!

7 superstições estrangeiras curiosas

1. Número 87 é sinal de azar (Austrália)

Essa superstição australiana tem a ver com uma herança da colonização britânica: o críquete. Nesse esporte, quando um jogador chega aos 87 pontos, os comentaristas dizem que ele alcançou o “número do Diabo”.

A explicação para isso é que a soma dos números 87 e 13 forma uma centena. E caso você não saiba, diversas culturas ao redor do mundo acreditam que esse último dá azar.

2. Sexta-feira 13 é dia de má sorte (Canadá)

Essa é uma superstição estrangeira que conhecemos muito bem aqui no Brasil. A explicação para ela é que Jesus Cristo foi crucificado na sexta-feira e Judas Iscariotes foi o 13º convidado para a última ceia.

Os canadenses têm um pouco mais de medo da sexta-feira 13 do que a gente. Nesse dia, eles evitam fazer coisas como sair de casa e cortar os cabelos. Diversos prédios também pulam o número em andares, salas e elevadores.

3. Não cumprimentar pegas solitárias dá azar (Irlanda)

A pega  ou magpie  é um pássaro que é bem parecido com o corvo e comum na Irlanda. Se você encontrar um desses sozinho, não se esqueça de cumprimentá-lo, pois dizem que não fazer isso é certeza de azar.

Por outro lado, os irlandeses acreditam que encontrar dois ou mais deles juntos é sinal de boas notícias chegando. Como eles são animais monogâmicos, isso não é muito difícil.

4. Bater em panelas e frigideiras no Ano Novo (Nova Zelândia)

No Brasil, fazemos diversas simpatias na virada do ano, como vestir roupas brancas, usar lingeries de determinadas cores, comer sementes de romã, incluir lentilha na ceia, pular sete ondas, entre outras.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Porém, uma das principais superstições de Ano Novo da Nova Zelândia não é comum por aqui: durante a virada, os neozelandeses batem o máximo que puderem em panelas e frigideiras.

5. Abrir guarda-chuva dentro de casa dá azar (Canadá)

Essa superstição também é muito conhecida pelos brasileiros, não é mesmo? Provavelmente, sua mãe ou avó já deve ter comentado que abrir guarda-chuvas dentro de casa dá azar!

Fabricantes de sombrinhas de ferro teriam inventado essa história para que as pessoas deixassem esses acessórios secando do lado de fora das casas e, assim, eles estragassem mais rápido.

6. Coceira no nariz é sinal de briga (Irlanda)

Na Irlanda, mesmo sensações relativamente comuns são interpretadas como sinais de que alguma coisa  boa ou ruim  acontecerá em breve. Sentir coceira no nariz é uma delas.

Os irlandeses acreditam que a coceira no nariz significa que brigas podem ocorrer. Para evitá-las, é preciso que alguém dê um tapa na mão da pessoa que sente o ímpeto de se coçar e ela revide esse gesto.

7. Codorniz pode ser sinal de sorte, azar ou fortuna (Nova Zelândia)

Os países da Ásia e da Oceania têm muitas superstições que envolvem animais. Um bom exemplo disso é a Nova Zelândia, que tem crenças ligadas a um pássaro já extinto, o codorniz.

De acordo com as histórias, quem ouvia o canto dessa ave podia ter boa ou má sorte, dependendo do ponto de onde vinha o som. Atualmente, ela também é muito associada à fortuna.

Enfim, esperamos que você tenha achado essas superstições estrangeiras interessantes, e não deixe de conferir de perto essas e outras curiosidade de acordo com a escolha do seu destino.

Se você gostou de conhecê-las, aproveite para compartilhar o nosso post nas redes sociais e marcar os amigos que sonham em conhecer esses países!

 

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Deixe um comentário