Qual é a melhor época para fazer intercâmbio na Irlanda?

12 minutos para ler
Tudo o que você precisa saber sobre intercâmbio para IrlandaPowered by Rock Convert

Realizar um intercâmbio tem se tornado cada vez mais o sonho de muitos estudantes, independentemente se eles são adultos, adolescentes ou crianças. Afinal, é uma experiência marcante para a vida inteira, tanto para quem ainda está na escola ou faculdade quanto para as pessoas que querem se destacar no mercado profissional. Contudo, para fazer uma boa viagem, caso seu objetivo seja conhecer a Ilha Esmeralda, é necessário saber qual a melhor época para realizar um intercâmbio na Irlanda.

Passar uma temporada fora do país de origem transforma o nosso modo de pensar, de entender a cultura alheia e de enxergar a vida. Os destinos são os mais diversos ao redor do mundo, porém, neste artigo daremos dicas e sugestões sobre qual é a melhor época para fazer intercâmbio na Irlanda — um dos países mais procurados pelos brasileiros.

É bem provável que você tenha chegado até aqui porque deseja ir para a Irlanda, certo? Então, conheça as principais dicas para ter uma ótima experiência nesse país. Continue lendo e saiba mais!

Como é o clima na Irlanda?

Nos primeiros meses de cada ano as temperaturas são baixas, em média de 4°C. Esse também é um período de chuvas intensas. Assustou-se com o clima? Calma! O verão chega em junho e, a partir dos 15ºC, já é considerado calor por lá. Enquanto aqui no Brasil essa média é de inverno e pede agasalhos, na Irlanda, essa temperatura é quente para os padrões.

Portanto, prepare-se para o inverno irlandês e, é claro, para o “verão” também. A sensação térmica pode ser ainda mais fria, pois venta bastante na Ilha Esmeralda. Então, para você não ter um impacto tão grande na questão do clima, a melhor época para fazer intercâmbio na Irlanda é viajar nos meses de abril, maio, junho e setembro.

Para quando comprar as passagens aéreas?

Para sair do país, você também deve considerar o preço das passagens aéreas, algo que tem impactos nas finanças. Via de regra, você deve correr dos altos preços, principalmente na alta temporada. Isso vai render uma boa economia, pois, na verdade, a diferença de preços é bastante considerável. Os meses nos quais os bilhetes têm o custo elevado são: janeiro, julho, agosto, setembro e dezembro. Isso acontece por ser verão no hemisfério norte e pelas festas de fim de ano.

Como é viajar no inverno?

A melhor época para fazer intercâmbio na Irlanda depende bastante de qual cenário você prefere se deparar em sua chegada. Na baixa temporada, além de economizar, será possível ter uma leitura melhor do país e conhecê-lo mais a fundo, com menos turistas e estrangeiros.

Nessa época, o fluxo de pessoas é bem menor que, claro, na alta temporada. Logo, sem filas nos locais mais procurados por visitantes. Você pode até aproveitar a experiência de sentir o frio irlandês.

Caso o seu orçamento esteja apertado, você pode cogitar a possibilidade de trabalhar e estudar ao mesmo tempo. O começo do inverno é uma boa época para isso, principalmente nos meses de outubro e novembro, quando surgem muitos empregos temporários devido às preparações para as festas natalinas.

O período entre 15 de dezembro e 15 de janeiro também é uma ótima opção, pois os intercambistas podem trabalhar sem restrições — até 40 horas semanais.

Como é viajar no verão?

Se a sua decisão for mesmo viajar no período do verão, saiba que você vai pagar a mais por isso. Entretanto, terá a oportunidade de frequentar as mais variadas atividades que só acontecem nessa época do ano, como os festivais de verão, que trazem gastronomia, cinema, dança, literatura, entre outras atrações.

Também, é possível curtir praias, esportes aquáticos, caminhadas, passeios ciclísticos, visitas a zoológicos e outras atividades que são permitidas em dias mais quentes.

Os meses de julho e agosto também são bons para quem deseja conseguir um trabalho na Irlanda, pois é o início do verão, época na qual os dias se tornam maiores e o comércio local fica mais tempo aberto. Além disso, de junho a setembro, os estudantes internacionais podem trabalhar por 40 horas semanais. Essa é uma ótima oportunidade para ganhar uma grana extra!

Como é o povo irlandês?

O irlandês, em geral, é bastante receptivo e simpático. Então, não se intimide ou fique com receio de interagir. A melhor forma de aperfeiçoar seu inglês é treiná-lo com os locais. Saiba que o povo da Ilha Esmeralda não é preconceituoso, e se comunicar com ele pode ser uma boa oportunidade para arrumar um trabalho ou conhecer mais a fundo a cultura do local.

Quais são as principais cidades para fazer intercâmbio na Irlanda?

Abaixo estão as 4 cidades mais procuradas pelos estudantes que fazem um intercâmbio na Irlanda. Há metrópoles e outras mais pacatas. Descubra as características de cada uma e escolha a que mais agrada ao seu gosto.

1. Dublin

A capital do país é também, com certeza, a cidade mais famosa. Com a maior população da Irlanda, Dublin tem diversas atrações para vários tipos de pessoas. Para quem gosta de história, há museus, teatros e castelos antigos em meio aos prédios modernos que mostram o desenvolvimento da cidade.

Já para quem prefere a vida noturna, a de Dublin é bem agitada. A capital tem vários pubs e festas típicas que os estrangeiros têm que conhecer. Apesar de o custo de vida ser maior nela que em outros municípios do país, muitos estudantes escolhem Dublin como destino, porque ela oferece mais oportunidades para quem está procurando um emprego.

Ela é um dos principais destinos escolhido pelos brasileiros. Então, se você for para lá, encontrará diversos conterrâneos. Isso é bom, porque quando a saudade apertar, vai ser importante ter alguém que o compreende por perto. Contudo, não se esqueça de conhecer outras pessoas e praticar o seu inglês, certo?

2. Cork

Mesmo tendo cara de interior, Cork é a segunda maior cidade da Irlanda e, assim como Dublin, tem atrações para os estrangeiros. A diferença é que em Cork tudo é mais perto, então boa parte das atividades podem ser feitas a pé e o estilo de vida é mais tranquilo. Quem deseja fugir um pouco da correria das metrópoles, vai adorar essa cidade.

Apesar de ser menor, ela é considerada um centro econômico, cultural e tem uma ótima infraestrutura. Em 2005, Cork foi considerada a capital cultural da Europa e hoje é sede de várias empresas na Irlanda, como a Apple.

Como há a University College Cork no município, o Cork Institute of Technology e boas escolas de inglês, muitos jovens do mundo todo moram lá. Por essa razão, a vida noturna é bem agitada e não perde em nada para Dublin. Uma observação é que ainda que tenha vários estudantes, em Cork não há tantos brasileiros.

3. Limerick

A terceira maior cidade do país é conhecida como “a mais cinzenta da Irlanda”, porque ela recebe, em média, apenas 3 horas e meia de sol direto por dia. Contudo, o clima não é diferente das demais e tem praticamente as mesmas temperaturas que as outras cidades.

Nem mesmo esse apelido faz os estudantes desistirem de suas universidades e escolas de inglês e, por isso, atualmente boa parte da população dela tem menos de 30 anos! Apesar de ter vários jovens estrangeiros, a concentração de brasileiros é bem pequena no município.

Algumas das atrações de Limerick são o King’s Island (uma área histórica preservada no centro), os restaurantes, pubs, a gastronomia do The Milk Market e os esportes, como o rugby. Para conseguir um emprego, pode ser mais fácil que nas demais cidades, pois a concorrência tende a ser menor. O custo de vida é outro ponto positivo, já que é menor que em Dublin e Cork.

4. Galway

Essa é uma cidade menor que as outras, com cerca de 70 mil habitantes, mas que também tem uma grande presença de estudantes. Ela é calma, porém tem um clima boêmio graças aos jovens que vão estudar nas universidades e escolas do município.

Localizada na costa oeste da Ilha Esmeralda, alguns dos encantos de Galway são as casas coloridas, seu centro histórico com ruas medievais, diversos festivais, como o Galway International Arts Festival, e a praia de Salthill. Apesar da água congelante, a região é bastante visitada devido aos cafés e pubs que ficam no calçadão.

Além disso, ela fica próxima de vários pontos turísticos da Irlanda, por exemplo, as praias de Connemara. Cada cidade tem suas vantagens e, cabe a você decidir qual lhe atrai mais.

Como definir a instituição de ensino?

Para estudar na Irlanda, um dos principais passos é definir qual será a instituição de ensino onde você vai se matricular. Sendo assim, é necessário considerar alguns critérios. Primeiramente, você deve definir o seu objetivo como um estudante.

Afinal, existem diversos cursos desde o nível de inglês básico até o avançado. Além disso, para quem deseja fazer uma prova de proficiência, como IELTS, há opções de cursos voltados para isso.

Depois dessa etapa, é importante escolher a escola, e um dos critérios que devem ser analisados é o seu orçamento, já que os preços podem variar bastante. Após selecionar as instituições que cabem no seu bolso, você precisa ver se elas são reconhecidas pelo ACELS, que é um órgão governamental regulador das escolas que oferecem cursos de inglês.

Caso queira entender melhor como funcionam as aulas, os métodos de avaliação e outros aspectos relacionados ao ensino, vale a pena conversar com pessoas que estudam ou já estudaram no local. Outra opção é pedir a opinião de profissionais especializados em intercâmbio, porque são pessoas que têm uma ampla gama de conhecimento em relação à qualidade das escolas.

Qual é a burocracia necessária?

Agora, chegou a parte mais cansativa no planejamento do intercâmbio: a burocracia. Ao contrário de outros países, na Irlanda, o intercambista só consegue o visto quando chega ao país. Primeiro, ele recebe o visto de turista, que é válido por três meses, e deve regularizar o documento de estudante durante esse tempo. Geralmente, os intercambistas escolhem o Stamp 2, que é o visto de estudante com permissão para trabalho.

Além disso, não esqueça de viajar com um passaporte válido, certo? Nesse caso, é importante que a data de validade não seja menor que seis meses, contando a partir do dia do embarque na Irlanda. Caso você queira fazer uma viagem pela Europa depois do intercâmbio, esse documento deve ter uma validade ainda maior. Se for necessário, então, não deixe de tirar um novo passaporte no Brasil antes de viajar.

Quais são as exigências da embaixada irlandesa?

Se você não quer correr o risco de perder o dinheiro por não conseguir o visto de estudo com permissão para trabalho quando chegar na Irlanda, é importante estar a par das exigências da embaixada do país.

Para isso, não esqueça de separar a carta oficial recebida na primeira semana de aula na escola, o seguro-saúde contratado, o passaporte válido e a comprovação financeira de que tem 3 mil euros disponíveis, lembrando que não é necessário pagar algo com esse valor na hora. Ele só serve para comprovar que o estudante tem dinheiro para se manter no país durante o intercâmbio.

Além disso, você deve ter um cartão para pagar a taxa de 300 euros que é cobrada para tirar o visto. Geralmente, esse documento fica pronto em 10 dias — ao menos em Dublin, onde o visto sai na hora.

Escolher o intercâmbio sozinho ou com uma empresa especializada?

A internet é uma ferramenta que contribui muito para a realização de intercâmbios, pois hoje a informação está em nossas mãos. Por isso, é possível conferir muitas questões a respeito do seu deslocamento e adaptação no exterior. O ideal é que, para uma viagem desse porte, você conte com a ajuda de uma empresa especializada, que dará todo o suporte, tanto antes quanto durante sua passagem pela Irlanda.

Outra vantagem é que se você realmente quer trabalhar no destino, precisa de um visto especial, além do de estudante. Portanto, ter tudo isso garantido de forma segura e rápida por um especialista é uma ótima ideia.

Se você já decidiu fazer seu intercâmbio para a Irlanda e, depois de ler este artigo, ficou mais fácil escolher o período de embarque, dê os próximos passos e saia em busca de experiências, relatos e profissionais que possam ajudar a realizar o seu sonho.

Após a decisão sobre qual a melhor época para fazer intercâmbio na Irlanda, o importante é que tudo seja feito de maneira transparente a fim de que você consiga alcançar os seus objetivos. Lembre-se: se sua intenção é também trabalhar, evite a ilegalidade, pois as leis europeias são bastante duras para quem não as segue. Por isso, consiga o seu visto de trabalho e de estudante e fique tranquilo.

Se você ainda está com dúvidas, confira um Webinar transmitido diretamente de Dublin, onde Ricardo Barros, gerente da WEST 1 Dublin, contou tudo o que você precisa saber para estudar, morar e trabalhar na Irlanda.

Se você ainda está com dúvidas confira abaixo um Webinar transmitido diretamente da Dublin onde o Ricardo Barros, Gerente da WEST 1 Dublin, contou tudo o que você precisa saber para estudar, morar e trabalhar na Irlanda.

O nosso artigo ajudou você a entender mais sobre intercâmbio na Irlanda? Compartilhe o post nas suas redes sociais para que ele auxilie outras pessoas que também desejam estudar na Ilha Esmeralda!

    Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

    Você também pode gostar

    Deixe um comentário