Descubra como os intercambistas Alessandra e Waldir conseguiram trabalhar em Dublin

Case de Sucesso
6 minutos para ler
Tudo o que você precisa saber sobre intercâmbio para IrlandaPowered by Rock Convert

Para conseguir se manter no intercâmbio, muitos optam por trabalhar e estudar. Esse foi o caso de Alessandra Spadaro e Waldir Junior, que contrataram os serviços da WEST 1 e foram para Dublin.

Na Irlanda, os estudantes matriculados em cursos full-time podem trabalhar 20h semanais no período escolar e 40h quando estiverem de férias. Vale destacar que o salário mínimo no país é de 10,10 euros por hora trabalhada, o que pode auxiliar bastante no orçamento de quem viaja para o exterior.

Por isso, decidimos elaborar este texto com o case de sucesso desses dois intercambistas que viajaram para Dublin e conseguiram um emprego. Quem sabe você não se inspira a seguir os passos deles? Acompanhe a leitura!

Principais desafios para trabalhar em Dublin

Se você está pensando em conciliar trabalho e estudo na Terra da Esmeralda, é importante que, antes mesmo de viajar, já saiba quais são os principais desafios que precisa encarar no processo de conseguir um emprego.

Segundo Alessandra Spadaro, não faltam opções de trabalho em Dublin. Por outro lado, o grande problema é encontrar algum que você realmente goste. Isso porque a maior oferta está voltada para os empregos nas áreas como cleaner (empregada doméstica) e kitchen porter (responsável por lavar louças em restaurantes).

A estudante conta que para conseguir emprego em outras áreas o esforço é bem maior: “Você precisa se dedicar muito ao inglês e ter um nível bom para se candidatar a outros tipos de vagas, e fazer muito network, indicações são sempre muito bem aceitas aqui em Dublin”, conta Alessandra.

Atualmente, a intercambista trabalha como sales assistant (vendedora) na loja Jigsaw, voltada para a moda feminina, dentro do shopping Arnotts e está bem feliz com a posição atual.

Como a WEST 1 ajudou

Para que você possa entrar e permanecer no país, é necessário apresentar alguns documentos, como o passaporte válido, comprovação de 3 mil euros e comprovantes relacionados à estadia, entre eles a carta da escola e da agência de intercâmbio.

Além disso, para poder trabalhar, você deve contar com o PPS (Personal Public Service Number), que é equivalente ao nosso CPF (Cadastro de Pessoa Física), comprovante de endereço, conta no banco e o antigo GNIB, atualmente chamado de IRP (Irish Residence Permit).

De acordo com Alessandra, a WEST 1 auxiliou em todo o processo para a separação e emissão dos documentos, tirou dúvidas e ainda marcou o horário para o IRP, que é bastante acirrado.

Aliás, Waldir ainda relata a seguinte situação: “Enquanto meus colegas estavam desesperados para marcar o GNIB, eu estava tranquilo, pois a WEST 1 já tinha feito isso por mim”. Além disso, o estudante conta que teve um problema com o cartão do Banco do Brasil (Visa Travel Money) na terceira semana e a WEST 1 ofereceu todo o suporte emocional e técnico necessário para resolver o caso.

Vantagens de trabalhar no intercâmbio

Uma das maiores vantagens de trabalhar em Dublin durante o intercâmbio é o alívio que o salário traz ao orçamento do estudante. Conforme relata Alessandra, “pagar aluguel, contas, alimentação… apenas os 3 mil euros não são suficientes para todo o período de intercâmbio, então precisamos trabalhar para completar a renda”.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Fora o benefício financeiro, ter um emprego também proporciona que o intercambista melhore bastante a fluência no inglês a cada dia, além de permitir que você saiba lidar com diferentes públicos.

Logo no primeiro mês, Alessandra conseguiu o primeiro emprego como sales assistant de uma loja na Grafton Street durante o período natalino. Ela conta que foi uma ótima experiência para aprender a lidar com irlandeses no ambiente de trabalho, que são bem diferentes dos brasileiros, e colocar o inglês em prática.

Depois, a intercambista trabalhou em um café brasileiro e teve diferentes funções, desde atender o público até ajudar na cozinha. Enquanto isso, também atuou como cleaner, o que a ajudou a aumentar a renda.

“Na minha vida tanto pessoal quanto profissional, o trabalho durante o intercâmbio me ajudou a desenvolver meu inglês mais rapidamente. Sempre procurei por trabalhos em que eu pudesse lidar com o público e falar inglês o tempo todo. É assim que você se testa e se aprimora”, explica Alessandra.

Waldir também conseguiu um emprego rapidamente. Segundo o estudante, durante a primeira semana, ele ficou numa acomodação confortável para descansar da viagem e se preparar para as aulas. Na semana seguinte, foi bem recebido na escola e se encantou com a alta qualidade dos professores.

Nesse local, conseguiu fazer alguns contatos e foi indicado para uma vaga em uma warehouse (armazém) e começou a trabalhar. Waldir está apenas a um mês em Dublin e já vivenciou tudo isso. Então, como você pôde perceber, conseguir emprego na Irlanda não é difícil, mas se quiser trabalhos em outras áreas é importante chegar com o inglês afiado.

Por que contratar a WEST 1

Como o período pré-embarque e até mesmo durante o intercâmbio pode ser complicado por envolver a adaptação e a resolução de questões como documentos, contar com a ajuda profissional se revela fundamental. Nesse caso, a WEST 1 se torna uma importante aliada do intercambista.

Segundo Waldir, “o atendimento pela agência foi fundamental para o meu sucesso nos primeiros dias aqui”. E Alessandra também não se arrepende de ter contratado os serviços da WEST 1: “desde quando ainda estava decidindo sobre o intercâmbio até quando cheguei em Dublin, todos da WEST 1 foram muito atenciosos e prontos para ajudar sempre que precisei!”.

Para viver essa experiência única com segurança, é importante não apenas estar aberto às oportunidades como também contar com uma empresa que ofereça todo o suporte necessário, tanto antes quanto durante o intercâmbio.

Afinal, é por meio dela que você conseguirá tirar as suas dúvidas, fazer as melhores escolhas relacionadas ao curso e ao país de destino, além de, é claro, não se sentir desamparado e poder pedir ajuda sempre que precisar.

Como você pôde ver a partir dos relatos de Alessandra e Waldir, trabalhar em Dublin é perfeitamente possível, mas todo o processo poderia ser muito mais árduo se ambos intercambistas não tivessem contratado os serviços da WEST 1 e fossem para o país sem o auxílio de uma agência de confiança.

Então, que tal começar a planejar o seu intercâmbio? Entre em contato conosco e, assim, iniciaremos juntos a programação dessa jornada!

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Deixe um comentário