Trabalho para intercambista: 3 opções para fazer uma grana no exterior
Guia de Planejamento IntercâmbioPowered by Rock Convert

Quem deseja fazer um intercâmbio, geralmente, está pensando em adquirir uma qualificação e ter uma experiência fora do Brasil. No entanto, para conseguirem sustentar esse sonho no país de destino, algumas pessoas precisam harmonizar os estudos com um trabalho para intercambista.

Afinal, nem tudo são flores, e é necessário arcar com as despesas da viagem e da estadia. A boa notícia é que é possível realizar um trabalho legalizado por um determinado tempo, sem prejudicar a aprendizagem.

Este post foi feito para ajudá-lo a conhecer algumas opções de trabalho que podem lhe render uma grana lá fora e, assim, dar um pouco mais de tranquilidade para que você siga seu planejamento. Acompanhe!

Como conciliar trabalho e estudo durante o intercâmbio?

Em geral, trabalhar e estudar não é uma tarefa fácil para ninguém. Entretanto, quando se está em um país que não é a sua terra natal, o foco nos objetivos deve ser intensificado, pois várias coisas podem lhe tirar a atenção, desde a curiosidade por conhecer locais diferentes até os encontros com os amigos que fará.

Seja por necessidade financeira, seja por querer conquistar uma experiência na área de estudo, a situação de conciliar as duas tarefas é muito comum entre os estudantes brasileiros. E, apesar de ser desgastante, com organização e disciplina, é possível se dedicar ao projeto de vida e ainda se divertir um pouco.

O primeiro passo é agir como um gestor das suas ações. Em outras palavras: seja o seu próprio chefe no que se refere às suas atividades diárias. Para isso, crie um cronograma, estabeleça prioridades e saiba quais resultados você quer alcançar.

A sua lista de afazeres pode ser feita em uma planilha, um aplicativo ou, até mesmo, em uma agenda de papel. O importante é que você sempre a consulte e esforce-se para seguir o planejado.

O segundo passo é aproveitar bem as suas brechas de tempo. As opções são basicamente três: produzir mais, descansar ou divertir-se. Independentemente da sua escolha, faça-a de forma consciente, buscando visualizar as consequências.

Contudo, se você é do tipo workaholic, lembre-se de que nem tudo é trabalho ou estudo e que pausas e distrações são necessárias para manter o corpo e a mente saudáveis. O equilíbrio é a chave para o sucesso.

Por fim, estabeleça sua rede de networking. A vida fora do seu país de origem pode ficar bem mais fácil quando se tem amizades. E isso vale tanto para o trabalho quanto para os estudos. Esses amigos podem ajudá-lo com as tarefas do curso, sanar dúvidas e também auxiliá-lo com trocas de horários do expediente, por exemplo.

Quais as opções mais comuns de trabalho para intercambista?

O intercâmbio traz várias vantagens ao estudante que sabe aproveitá-lo ao máximo. Entre elas, estão o aprimoramento de uma nova língua e a chance de ter muito conhecimento na área em que se estuda.

Porém, quando se consegue um trabalho durante essa estadia, além de obter um salário para ajudar a pagar as despesas do dia a dia, como alimentação e transporte, o intercambista usufrui de uma maior imersão cultural.

Para tanto, é preciso estar disposto e, talvez, aceitar trabalhos que não se tem o costume de realizar, uma vez que as funções mais disponíveis para os viajantes são em áreas que permitem uma maior rotatividade de funcionários.

A seguir, listamos algumas possibilidades. Veja!

1. Estágio

O estágio, geralmente, é para quem está mais interessado em enriquecer o currículo profissional. Nesses casos, há exigências de um nível avançado de inglês e limites de idade para realizá-lo. Algumas empresas fazem os processos seletivos no Brasil.

Entretanto, os candidatos devem ter se formado há um ano, no máximo. No mais, deve-se ter atenção na hora de escolher o estágio, pois há alguns que são remunerados e outros que não são.

2. Prestação de serviços

Para a prestação de serviços, a exigência costuma ser de nível intermediário de inglês. Algumas funções possíveis são atendimento ao cliente, serviços de hotelaria (camareira, recepcionista etc.), limpeza, entregador, caixa, vendedor, entre outros.

3. Ramo alimentício e entretenimento

Nesses ramos, podemos destacar alguns serviços, como os realizados em cafés, bares, restaurantes, estações de esqui e parques. Assim, é possível trabalhar como garçom, ajudante de cozinha, barista etc.

Independentemente da posição escolhida, cada país tem as suas regras quanto ao tempo de visto, à carga horária de trabalho, à quantidade de semanas permitida para que o estudante exerça a função, às exigências, como seguro de saúde, passagens de ida e volta etc.

Caberá a você e à sua agência de viagem buscarem essas informações. Também é importante saber que Austrália, Nova Zelândia, Irlanda e Canadá figuram entre os principais países que permitem ao estudante brasileiro trabalhar legalmente durante o período do intercâmbio. Assim sendo, vale a pena fazer uma boa pesquisa sobre eles.

Quais habilidades são necessárias para conseguir um trabalho de forma mais rápida?

Para trabalhar em outro país, é preciso estar aberto a novidades. Os empregos fora do Brasil têm características diferentes das que se vê por aqui e a mais relevante delas é a variedade cultural. Portanto, a adaptação é menos complicada quando o estudante chega sem preconceitos, disposto a enfrentar novos desafios e a mudar seus hábitos.

Cada empresa é única, mas, no geral, os horários de expediente não são os mesmos dos praticados pelas companhias brasileiras e o ambiente costuma ser mais formal. Porém, é possível aprender e buscar o desenvolvimento em qualquer situação.

O quesito mais considerado é o nível de inglês, já que, em qualquer posição, será preciso se comunicar. Todavia, como dito, alguns cargos pedem uma comunicação intermediária, enquanto outros exigem uma capacidade de se expressar mais avançada.

Além disso, outras habilidades que podem fazer a diferença na hora de conquistar uma vaga são a desenvoltura, a flexibilidade e o jogo de cintura. Quanto mais eficiente você for nesses quesitos, maiores serão as suas chances de conseguir, de modo mais rápido, arrumar um emprego.

Ao considerar viver um tempo fora do seu país, uma pessoa pode ter um objetivo em mente, mas, sem dúvida, a experiência pode trazer muitos benefícios adicionais. Conquistar um trabalho para intercambista pode ajudar no progresso profissional e é também uma forma de sair da zona de conforto, trazendo maturidade para a vida como um todo.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como trabalhar e estudar fora do Brasil, entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar você nesse processo!

 

Receba conteúdo em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This