Vai pra Irlanda? Confira a documentação para intercâmbio no país!

o que precisa para fazer intercambio na Irlanda
13 minutos para ler
Tudo o que você precisa saber sobre intercâmbio para IrlandaPowered by Rock Convert

Você está pensando em fazer um intercâmbio na Irlanda? Então, deve saber que há várias medidas que precisam ser tomadas na fase de planejamento de uma viagem com esse objetivo. Por exemplo, você conhece os tipos de visto para o país? Você sabe, de fato, o que precisa para participar desse tipo de programa?

Nem todos os países contam com as mesmas regras para ingresso e direito de estudar (e trabalhar). Portanto, uma pesquisa se faz necessária antes de tomar qualquer decisão. É essencial escolher o destino para essa experiência ao se basear, primeiramente, na sua vontade — mas também em outros fatores que podem complicar ou facilitar o processo.

Além disso, ao embarcar para um intercâmbio, o ideal é estar disposto a viver plenamente o idioma e a cultura local. Juntar-se a um grupo de brasileiros, conversar o tempo todo em português e procurar somente por pratos que remetam a seu país de origem será como estudar pela metade. Por isso, a importância de simpatizar com o destino escolhido.

Quer saber mais o que precisa para fazer intercâmbio na Irlanda? Então, continue a leitura!

Por que escolher a Irlanda?

Por qual motivo a Irlanda, normalmente, é uma das principais opções de intercâmbio? Muitos brasileiros escolhem o país devido ao custo dos cursos (que costumam ser menores em relação aos outros destinos). Além disso, a localização na Europa — pois é mais fácil e barato visitar outros países vizinhos durante o período —, a possibilidade de trabalhar e a desburocratização do visto para lá.

Conseguir autorização para entrar nesse país é, realmente, um processo muito simples. A emissão, em geral, é rápida, e você não vai precisar gastar um valor elevado para isso. Você pode, ainda, contar com a ajuda de uma agência de intercâmbios, que vai acompanhar você desde a solicitação do visto até o embarque e o suporte no país de destino.

Como escolher o curso?

Na Irlanda, existem diversas opções de cursos para brasileiros. As principais são:

  • inglês convencional: o estudante realiza um teste de nivelamento e se enquadra em uma turma. A duração do curso pode variar em meses e, quanto mais tempo, maiores serão os avanços no idioma;
  • inglês para negócios: executivos que vão para o país para atuar em empresas associadas podem fazer um curso de inglês voltado para o mundo corporativo;
  • cursos técnicos: alunos que já têm um determinado nível de inglês podem escolher um curso técnico na Irlanda, que enriquecerá o seu currículo e ainda trará novas oportunidades de trabalho, no Brasil ou no exterior;
  • cursos universitários: por fim, há aqueles que sonham em cursar uma universidade na Irlanda. Há opções de graduação, bacharelado, mestrado e doutorado. Para ingressar, entretanto, é necessário ter nível avançado de inglês.

Vale lembrar que o ano letivo irlandês começa em setembro. Então, é importante ficar atento para não perder o período de inscrições.

Quais são os tipos de visto para estudo?

O visto geral para estudar na Irlanda é chamado de GNIB. No entanto, existem diversas modalidades de autorização, a fim de permanecer no país para estudos. É o que veremos, a seguir.

Estudante/turismo

Quando a duração do curso é inferior a três meses, o estudante não precisa de visto — ele pode permanecer na Irlanda por esse período como turista. Com esse status, não é permitido trabalhar e nem estender o período no país por mais de 90 dias. Nesse caso, você vai apenas receber um carimbo no passaporte explicando a situação e não pagará nada por isso.

Stamp 2A

Destinado a pessoas que farão um curso no país com duração de três a cinco meses ou de meio período. É importante lembrar que esse visto não dá o direito de trabalhar e que ele pode ser tirado lá mesmo, até 90 dias após a chegada. O custo é de 300 euros. É possível consultar se o seu curso faz parte dessa modalidade no site do governo da Irlanda.

Stamp 2

Essa opção é destinada às pessoas matriculadas em um curso com mais de seis meses de duração e período integral. Essa modalidade também custa 300 euros, permite que o estudante obtenha a permissão de trabalho e pode ser renovada, assim como o Stamp 2A.

Como é o processo para tirar o visto de estudo com permissão de trabalho no país?

Esse tipo de visto pode ser tirado na própria Irlanda, ou seja, você não precisa iniciar o processo antes de embarcar. Na primeira semana de aula, o estudante recebe uma carta oficial da escola.

Com o objetivo de tirar o visto para Irlanda, ele deve comparecer ao setor de imigração munido dos seguintes documentos: a carta recebida, o passaporte (muita atenção à data de validade), o seguro-saúde, as evidências financeiras comprovando os 3 mil euros exigidos e um cartão para pagamento da taxa de 300 euros.

Mas não se assuste! Esse valor em dinheiro não será pago: trata-se apenas de uma comprovação de que o estudante tem como sobreviver por seis meses no país, caso haja algum imprevisto ou fique sem emprego. Além disso, a prova de que esse valor está em conta pode ser feita mediante extrato bancário ou comprovante de cartão pré-pago de viagem. Aliás, nem é aconselhável andar pela rua com tanto dinheiro.

Normalmente, o visto leva cerca de dez dias para ficar pronto (exceto se o estudante estiver em Dublin, onde o processo é feito na hora). Só fique atento às regras: a Irlanda permite que o aluno trabalhe por 40 horas semanais, de junho a setembro e de 15 de dezembro a 15 de janeiro — e 20 horas semanais nos demais meses.

Como funciona a renovação do visto para Irlanda?

A duração do GNIB categoria Stamp 2, para quem vai estudar as 25 semanas de inglês, é de oito meses, sendo seis meses de estudos, mais dois meses de férias. O estudante pode renová-lo por duas vezes, totalizando um período de dois anos de permanência no país para estudos do idioma.

Caso deseje ingressar em um curso superior, ele precisará comprovar essa condição para que obtenha autorização de renovar o visto por mais cinco anos. Com isso, a permanência na Irlanda pode durar até, no máximo, sete anos na modalidade de estudante.

Há alguma dica para que não ocorram problemas nesses processos?

Apesar de se tratar de um processo simples, é melhor evitar complicações por meras distrações, não é mesmo? Por isso, separamos algumas dicas importantes:

  • na hora de separar os 3 mil euros para levar ao país, lembre-se do custo do visto, que é de 300 euros. Caso você tenha 2,7 mil, o valor não será suficiente como comprovação de renda. Por isso, além dos 3 mil euros, mais esse valor para pagar o visto, procure levar um pouco a mais;
  • chegando ao país, não se esqueça de que você tem até 90 dias para regularizar a sua situação. Trata-se de tempo mais do que suficiente para ir ao setor de imigração, de posse dos documentos, e conseguir o visto. Perder esse prazo pode implicar em grandes transtornos;
  • por fim, vá à escola. Pode parecer óbvio, mas além de influenciar a aprendizagem, a assiduidade na instituição também fará a diferença na hora de renovar o seu visto de estudos. Eles exigem uma frequência acima de 85% para deferir o pedido.

Caso a cidade escolhida seja Dublin, é recomendado que o horário de atendimento na imigração seja agendado antes de deixar o Brasil. Por se tratar de uma grande capital, o órgão tende a estar sempre lotado e você corre o risco de perder o prazo por não ter conseguido uma vaga para atendimento. Nas outras cidades, o movimento não é tão grande e, portanto, o agendamento não é necessário.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

O que levar na bagagem?

O clima na Irlanda tende a ser relativamente chuvoso na maior parte do ano. A estação mais ensolarada costuma ser a primavera, enquanto verão, outono e inverno são marcados por chuvas. Então, prepare o seu guarda-chuva. Quanto ao clima, o inverno, em geral, é bastante frio, inclusive com neve.

Entretanto, os ambientes são preparados para as baixas temperaturas, o que significa que a maioria das casas e estabelecimentos contam com sistemas de aquecimento. O ideal é levar um casaco bem grosso para andar pela rua e sempre usar roupas um pouco mais leves por baixo — assim, você pode tirá-lo e ficar confortável também nos ambientes internos.

Ainda que você vá no verão, as temperaturas não costumam passar dos 20ºC e é importante levar isso em conta quando for fazer as malas. Também, não caia na tentação de levar apenas botas e sapatos sociais: tenha sempre um tênis disponível, pois pode ser que você precise caminhar em algum momento.

Outra dica importante: não exagere na bagagem! Por mais que a ideia seja passar um período relativamente longo no país, não corra o risco de ter que pagar pelo excesso na volta. Vamos contar um segredo: na Irlanda, é possível fazer algumas comprinhas a preços acessíveis e você, provavelmente, não vai resistir.

Na mala de mão, mantenha todos os seus documentos, cartão de crédito, dinheiro, joias, eletrônicos e remédios de uso contínuo. Itens de higiene pessoal também podem ser necessários durante o voo, mas lembre-se de que não são admitidos frascos contendo mais de 100ml de líquidos. Por isso, recomenda-se que você conserve consigo apenas o necessário e coloque o restante na bagagem que será despachada.

Quantos euros levar?

Outra dúvida muito comum diz respeito à quantidade de dinheiro. Afinal, quantos euros é necessário levar para manter-se no país pelo período programado? Para planejar essa questão, pense em uma média de 800 euros por mês. É claro que você não precisa levar tudo isso em espécie, mas é recomendável que tenha alguma coisa em mãos para casos de necessidade.

O restante pode estar em sua conta bancária, para saque ou uso do cartão mais tarde. Também é importante levar um cartão de crédito internacional para alguma eventual emergência. Lembre-se de que os comprovantes de renda para questões burocráticas também precisam estar com você na bagagem de mão.

Por que contratar uma agência de intercâmbio?

Para que todo o processo do visto seja feito de forma cautelosa e sem erros causados por distrações ou falta de conhecimento em relação à documentação, contratar uma agência de intercâmbio pode ser a opção ideal. Assim o intercambista se sente mais seguro e pode viajar sem maiores medos ou preocupações.

Nesse contexto, vale a pena conhecer os principais benefícios que uma agência pode oferecer durante o intercâmbio.

Conhece os processos burocráticos

Ao contratar uma empresa especializada no serviço, não é necessário correr atrás de todas as informações e se preocupar com os processos burocráticos que envolvem o planejamento da viagem. Até porque a empresa faz isso tudo por você.

Uma das grandes vantagens é que a agência de intercâmbio lida há anos com estudantes que querem ir ou estão no exterior. Então, já está familiarizada com toda a burocracia. Dessa forma, é menos uma dor de cabeça para o aluno.

Entende sobre as principais documentações

Quando uma pessoa começa a pesquisar sobre intercâmbio, é normal ficar bem confusa com a quantidade de informações que aparecem. Nesse sentido, um dos principais itens é a documentação, que pode ser uma grande incógnita para quem nunca viajou ao exterior.

Logo, a agência, baseando-se no seu perfil, indica tudo o que você precisa separar, como seguro-saúde, comprovação financeira, entre outros. Além disso, a empresa ainda ajuda ao indicar qual é o tipo de visto necessário e o melhor para o seu caso.

Sabe auxiliar sobre todos os passos

De acordo com o interesse de cada intercambista, a agência consegue montar pacotes voltados para ele, com o intuito de auxiliar integralmente durante o processo. Assim, o primeiro passo é escolher o país, depois a cidade e, por fim, a escola. Em todo esse procedimento, você tem total apoio dos consultores da empresa.

Por isso, para quem tem muita dúvida sobre o intercâmbio, a agência é capaz de ajudar conforme os principais objetivos do aluno em relação à experiência que ele procura ter no exterior.

Orienta sobre a documentação necessária na chegada ao país

Imagina planejar todo o intercâmbio, comprar as passagens, mas, ao ter contato com a imigração, perceber que faltou um documento e ter que voltar para casa? Esse é, sem sombra de dúvidas, um dos piores pesadelos para quem sonha em estudar fora. Para impedir que isso aconteça, conte com ajuda profissional, que vai orientar sobre a documentação que você deve apresentar no aeroporto do país de destino.

No momento em que o intercambista pisa em Dublin, por exemplo, ele passa pela imigração irlandesa. Dessa forma, é necessário ter a carta da escola, para que a matrícula seja confirmada, além da acomodação.

Seguindo todas as recomendações, você recebe o visto para Irlanda provisório e depois deve providenciar o visto de estudante em até 90 dias, como já foi dito. Nesse caso, vale lembrar que os alunos residentes no país por mais de três meses também devem se registrar na Irish Resident Permit (IRP).

Esperamos que este post tenha esclarecido suas dúvidas sobre o que precisa para fazer intercâmbio na Irlanda. Lembre-se de que estamos falando de um passo importante e que deve ser muito bem planejado, para evitar imprevistos e transtornos. Assim, você viverá uma das melhores experiências de sua vida.

Entendeu a importância de descobrir qual é a documentação necessária para o intercâmbio na Irlanda e as vantagens de contratar uma agência? Então, compartilhe este post em suas redes sociais e ajude também os seus amigos a planejarem os estudos no exterior!

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Um comentário em “Vai pra Irlanda? Confira a documentação para intercâmbio no país!

  1. Bom dia.
    Como conseguir emprego e garantir o intercâmbio.
    Eu tenho diversas formações e qualificações voltado à hospitalidade e Turismo,é tb,a mixologia molecular,é toda alta coquetelaria contemporânea – mediterrânea e regional.

Deixe um comentário