Confira 6 vacinas para viajar para fora do Brasil

vacinas para viajar
6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Sair do Brasil, seja para turismo, trabalho ou estudos sempre demanda planejamento, ainda que se trate de uma viagem breve. Além de toda a questão burocrática, que envolve documentação, é preciso pensar nas finanças, no que levar na mala e em itens indispensáveis, como passagens e hospedagem. Como se não bastasse, ainda é preciso levar em conta a necessidade de certas vacinas para viajar.

Acontece que algumas regiões podem deixá-lo mais suscetível ao desenvolvimento de determinadas doenças e, portanto, é importante se imunizar de antemão. Alguns países, inclusive, exigem o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia) para a entrada do estrangeiro. Trata-se de um documento, emitido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que comprova as vacinas tomadas pelo indivíduo.

Se você deseja entender melhor a necessidade de vacinação para determinadas viagens, continue lendo. Preparamos abaixo um conteúdo especial sobre o assunto.

Mas afinal, é sempre necessário tomar vacina antes de viajar?

Especialmente se for a sua primeira viagem ao exterior, é possível que você se depare com esse questionamento. Afinal, será que é preciso tomar alguma vacina para poder embarcar? Se sim, quais são elas? Muitas vezes, não se sabe ao certo nem mesmo onde buscar essas informações, e isso pode trazer muita ansiedade e insegurança.

Mas vamos lá: em primeiro lugar, independentemente se você vai ou não viajar, é necessário estar em dia com as vacinas exigidas aqui no Brasil. Estamos falando da sua saúde, algo que você não deve jamais negligenciar. Quanto às questões burocráticas, tudo vai depender do seu país de destino.

Nem sempre será necessário tomar alguma vacina além das convencionais, que já são necessárias por aqui mesmo. Mas como saber? O importante é buscar essa informação com antecedência. Você pode, por exemplo, consultar uma agência de intercâmbios ou de viagem para entender melhor como funcionam as burocracias do país que você escolheu visitar. Assim, você consegue se preparar até o dia do embarque e, além de evitar problemas ao passar pela imigração, ainda garante proteção à sua saúde durante a estadia.

Quais países exigem vacina contra a febre amarela?

Muito se ouve falar sobre a vacina da febre amarela, mas será que ela é necessária para entrar em todos os países? E para quem vai permanecer aqui no Brasil, ela é obrigatória? Sim… muitas ainda são as dúvidas que rondam essa vacina específica, mas podemos esclarecê-las.

Ainda que seja importante se imunizar por questões de saúde, nem todos os países vão exigir essa vacina. Para ajudá-lo com essa dúvida, preparamos abaixo uma mini-lista com os principais, nos quais você precisa apresentar um certificado que conste a vacina contra a febre amarela:

  • África do Sul;
  • Angola;
  • Arábia Saudita;
  • Austrália;
  • Bolívia;
  • Cabo Verde;
  • China;
  • Colômbia;
  • Congo;
  • Costa Rica;
  • Egito;
  • Equador;
  • Filipinas;
  • Índia;
  • Jamaica;
  • México;
  • Nepal;
  • Tailândia.

É claro que esses não são os únicos, mas vale a pena tirar a dúvida quando ainda estiver em fase de planejamento da viagem.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Como obter o certificado internacional de vacinação?

Lembra do CIVP, do qual falamos no início deste artigo? Pois bem, pode ser que você tenha dúvidas a respeito de como obtê-lo. A sua emissão pela Anvisa é gratuita para todo brasileiro e estrangeiro que vá viajar para fora do país. Ele é exigido para entrada em certos países, inclusive para crianças a partir dos 9 meses de idade.

Você pode acessar o site oficial da Anvisa e consultar a página destinada especialmente ao CIVP para confirmar quais vacinas são exigidas no seu país de destino. Inclusive, é importante ficar atento não só ao seu destino, mas também aos locais onde o seu avião fará escalas. O passo seguinte consiste em tomar a(s) vacina(s). A maioria delas é oferecida pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em qualquer posto de saúde.

Em seguida, basta acessar a página gov.br para receber a versão digital do documento, que pode ser impressa em casa. Se preferir, é possível agendar um atendimento presencial a partir da página CIVNET. Será necessário apresentar o seu documento de CPF e o comprovante da vacinação. O documento será emitido em até 10 dias úteis. Vale lembrar, ainda, que ele é vitalício e, uma vez emitido, você não precisará solicitar um novo para a próxima viagem.

Quais vacinas podem ser necessárias para viajar?

Além da febre amarela, há outras vacinas que podem ser obrigatórias quando você vai viajar para certos países. Para entender melhor, listamos abaixo algumas delas:

  • Hepatites A e B – Alguns locais exigem que você tome essas duas vacinas. Entretanto, elas fazem parte do calendário comum de vacinação brasileiro e é bem provável que você já as tenha tomado;
  • Tríplice viral – A tríplice viral imuniza o indivíduo contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. Normalmente, é aplicada em crianças a partir de 1 ano de idade;
  • Tétano – O ideal é que a vacina de tétano seja tomada em uma dose a cada dez anos. Entretanto, muitas pessoas acabam se esquecendo e voltam a lembrar-se dela somente quando vão viajar para um local onde ela é exigida. Nunca é tarde para se prevenir;
  • Difteria – A difteria se caracteriza por uma inflamação que atinge a garganta e, por vezes, as vias aéreas do indivíduo, podendo causar outros danos ao organismo, inclusive ao miocárdio. Convém preveni-la;
  • Antirrábica – A vacina antirrábica protege o indivíduo de adquirir a doença em caso de mordida de cachorro, morcego ou rato. Dependendo do local a ser visitado, ela se torna imprescindível.

Pode ser que ainda seja necessária alguma outra vacina, a depender da época da viagem e das condições do local no momento da sua visita. É por isso que é sempre importante se informar com antecedência.

Como se pode ver, as vacinas para viajar são um assunto comum entre as pessoas que desejam deixar seu país, ainda que somente para estudos ou passeio. Entretanto, elas não devem ser encaradas como “uma mera obrigação”. Trata-se de uma forma de manter você protegido de possíveis contágios, sejam eles por vírus e bactérias ou por transmissão de uma pessoa para outra.

Este post foi útil para você? Então não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais e dividir a informação com seus amigos!

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário