9 Benefícios de morar em uma Homestay

14 minutos para ler
Powered by Rock Convert
Tudo o que você precisa saber sobre intercâmbio para IrlandaPowered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Fazer um intercâmbio exige muito planejamento, não é mesmo? Apesar disso, morar fora do país não é nenhum bicho de sete cabeças! Neste artigo, você vai ficar por dentro de um assunto que sempre desperta algumas dúvidas nos estudantes: a acomodação.

Para deixar tudo claro, conversamos com Thaio Tomazetti, diretor de uma empresa parceira da WEST 1, a 2Stay Accommodation. O expert abriu o jogo a respeito das qualidades e das enrascadas sobre cada um dos tipos de moradia que você encontra em países como AustráliaNova Zelândia e Irlanda, destinos campeões para quem deseja turbinar o inglês.

Essa conversa deu origem a uma série de textos que você pode acompanhar aqui em nosso blog. Para começar essa trip, nada melhor do que falarmos da primeira acomodação em que a maioria dos estudantes internacionais se hospeda ao chegar ao destino: a homestay ou “casa de família”, em tradução aportuguesada.

Geralmente, os estudantes preferem morar na homestay durante o primeiro mês de estada no país. Isso porque é uma das formas mais seguras de moradia para os recém-chegados, uma vez que em outros casos, como as share accommodations, é necessária uma inspeção antes da locação e outros cuidados sobre os quais você fica sabendo em outro texto da nossa série.

Agora, chega de blablablá! Para você que deseja saber tudo sobre o assunto, listamos abaixo nove coisas imprescindíveis caso você tenha o plano de morar em uma homestay. Leia já!

1. Primeiros passos

Antes de falar sobre cada detalhe que você deve saber antes de morar em uma homestay, partimos dos primeiros passos: como alugar esse tipo de moradia?

Ainda que cada país tenha especificidades (há regras que diferem em nações da Europa ou da Oceania), é comum que as próprias escolas selecionem as famílias que desejam hospedar os estrangeiros, com base na segurança e conforto que os gringos têm a oferecer ao intercambista.

“Posso escolher a casa na qual quero ficar?”. Habitualmente, você não vai ficar responsável por optá-la, pois é a escola de idiomas ou a empresa de intercâmbio que o fazem para a sua maior segurança e facilidade. Uma curiosidade é que, quando os estudantes vão em high school a países anglófonos, quem seleciona o hóspede são os anfitriões.

2. Imersão cultural

O contato com diferentes culturas é umas das coisas mais bacanas que um intercâmbio pode proporcionar aos estudantes — e a homestay oferece essa imersão muito particular e rica, um dos principais diferenciais desse tipo de experiência.

Na homestay, os estudantes podem acompanhar o dia a dia de uma família e todos os seus costumes e cultura, seja dos irlandeses, neozelandeses ou dos australianos. Nesse último grupo, vale a pena uma observação que, às vezes, causa certo incômodo nos estudantes.

Diferentemente de outros destinos, como a Irlanda, por exemplo, que você tem um país mais homogêneo com aquele padrão de família europeu, na Austrália os estudantes vão ter acesso a um ambiente muito mais multicultural.

Isso significa que, às vezes, um estudante pode ser recepcionado por um asiático, um grego, quem sabe uma família de descendência indiana, todavia, todas essas famílias nasceram na Austrália e apenas têm descendentes de algum outro lugar.

Vale ressaltar que o compromisso é colocar o estudante em uma família que tenha como língua principal o inglês, mas, na Austrália, Irlanda ou Nova Zelândia, você poderá encontrar famílias com outras descendências.

Dessa forma, a dica é: vá sempre de cabeça aberta! Estude um pouco da cultura e dos costumes locais e aproveite, pois, com certeza, será uma experiência incrível.

3. Quartos individuais

Estar em outro país vivendo outra língua é uma experiência impactante. Estar em um quarto só para você e ter aquele momento para respirar pode ajudar a organizar as ideias nas primeiras semanas — e essa possibilidade a homestay pode oferecer para você.

Em muitos casos, além de um quarto individual, os estudantes ainda podem contar com um banheiro privativo. Tenha em mente, porém, que escolher um lugar privado pode tornar os custos mais altos. Logo, é sempre bom estar com a mente aberta, caso seja a sua condição, para poder dividir o quarto com alguém.

Um detalhe: pode acontecer de a casa não oferecer serviços com os quais você está acostumado no Brasil, como uma televisão no quarto e wi-fi. Se você não quer abrir mão do conforto, fale sobre isso antes de contratar uma homestay, pois é possível que a “mordomia” aumente o preço mensal da estada.

4. Alimentação

A homestay tem diversas vantagens e uma delas é a alimentação. Em sua maioria, o café da manhã e o jantar estão garantidos durante a semana, no chamado regime de meia pensão, mas você pode eleger também a pensão completa (café, almoço e jantar), de acordo com o seu planejamento financeiro.

Já aos finais de semana é comum que os membros da homestay ofereçam café da manhã, almoço e jantar. Todavia, é importante ressaltar que o intercambista vai comer a mesma coisa que a família no dia a dia.

Contudo, a multiculturalidade de países como a Austrália pode trazer à mesa comidas com elementos mais regionais da alimentação asiática, grega e indiana, tudo dependendo das raízes da família que está hospedando o intercambista.

Na Irlanda, por exemplo, o famoso Irish Breakfast, ou café da manhã irlandês, é composto por pão, bacon, salsichas fritas ou grelhadas, ovos, morcela (uma espécie de chouriço feito com sangue e miúdos de porco), feijão com molho de tomate, batata e cogumelos — o que vai muito além do pão com café com leite brasileiro.

Já na Austrália é comum o consumo de vegemite, uma espécie de geleia salgada de vegetais.

Então, caso você tenha alguma restrição alimentar ou alergia a animais de estimação, por exemplo, não se estresse, mas converse com a empresa de acomodação ou com a própria escola para filtrar as possibilidades de homestay.

5. Restrições

Assunto pertinente, muitos estudantes possuem algum tipo de alergia a animais de estimação ou precisam seguir uma dieta especial. E isso não é um bicho de sete cabeças! Se você se encaixa em um dos dois perfis, comunique o consultor já no início do seu atendimento qualquer tipo de restrição que você possua para que uma família adequada ao seu perfil seja selecionada.

No destino, geralmente o processo de troca de residência leva alguns dias, o que pode complicar a sua situação. Ainda que seja muito raro, pode acontecer de você não se adaptar à homestay. Se assim for, você tem direito de pedir à operadora para se mudar.

Caso a situação envolva falta de organização na casa, localização que põe em risco a vida do estudante ou, em fato extremo, maus tratos, a troca será feita com urgência. Mas, não esquente, como dissemos, esses problemas são uma exceção à regra. Prepare-se para ser bem-vindo, sempre atento às regras básicas da boa convivência!

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

6. Regras básicas

Cada família tem a sua própria regra cultural. Conhecer as regras da sua Host Family é essencial. Algumas são bem comuns, como horário de jantar e tempo de banho, mas em algumas casas a família pode optar por não dar uma cópia da chave ao estudante, por exemplo.

Nesse momento, é essencial o diálogo com a família que está recebendo você, pois as regras existem e devem ser respeitadas, são normas seguidas por todos da casa e não apenas pelos estudantes.

Se você estuda à noite ou precisa de um banho que vai exceder a regra de cinco minutos, converse com a família que está recebendo-o e explique a situação para eles, pois ainda que o jantar seja servido pontualmente às 20h, eles compreenderão e guardarão a sua comida caso você tenha um compromisso naquele horário.

Isso também é válido para os finais de semana. Se você decide turistar pela cidade que está ou sair com amigos, é de bom tom que você ligue para a família, deixe uma mensagem de voz, explique que você estará fora e diga quando planeja voltar. É um costume no Brasil e faz toda a diferença para a sua Host Family.

Então, em resumo, não confunda casa de família com hotel. Geralmente, os anfitriões esperam que você haja como um membro da família, então, não espere que os proprietários tirem o seu prato da mesa após o café, almoço ou jantar. Você também será gentil se lavar os pratos, deixar o seu quarto organizado e tomar cuidado com a bagunça no banheiro.

Outra coisa importante que pode facilitar o contato com a sua nova família, ainda que não seja uma regra: que tal levar um presente para eles? Presentear alguém mostra que você é uma pessoa responsável e vai ajudá-lo também a quebrar o gelo. Quem não gosta de receber uma lembrancinha?

7. Localização

Uma coisa que, muitas vezes, causa algum desconforto nos estudantes internacionais, é a localização da homestay. Algumas famílias não moram nos centros da cidade, o que impacta diretamente no tempo de deslocamento dos estudantes que, em alguns casos, pode ser de até uma hora, sem contar o tempo de espera do transporte e, é claro, a distância entre o ponto de ônibus e a residência ou escola.

Por isso, planeje-se! Pergunte para a sua Host Family os horários de ônibus, faça pelo menos uma vez antes do início das aulas o percurso e familiarize-se com ele.

8. Comunicação

Diálogo é sempre a palavra-chave! Apresentamos durante o texto diversos aspectos bons e vários outros que requerem atenção antes de morar em uma homestay, mas o principal ponto é a conversa. Mesmo sem dominar o idioma é possível construir um diálogo com as diversas ferramentas disponíveis (mímicas, gestos, desenhos, apontar para objetos etc.).

Além disso, uma conversa franca pode resolver a situação de forma muito mais fácil e rápida. Pode ser que os estudantes relatem as insatisfações aos pais, estes procuram a agência que, em contrapartida, vai procurar a empresa de acomodação e, só depois disso, o estudante tem um retorno de algo que poderia ter sido resolvido com uma conversa entre o estudante e a Host Family.

Além de resolver qualquer situação, uma boa conversa vai ajudá-lo a praticar e desenvolver ainda mais o idioma. Adiante, você fica por dentro de outros tipos de residência no exterior. Curioso, né? Continue lendo!

9. Acomodações

Iniciamos este texto com a afirmação de que o sonho de fazer intercâmbio demanda planejamento. E a regra se aplica na hora de escolher uma residência. Como você percebeu, a homestay pode ser uma mão na roda quando você chegar ao seu destino.

Mas, dependendo dos seus planos, você pode precisar de outro tipo de acomodação! No exterior, são comuns também outros quatro tipos: hotel, apartamento, república e hostel. Quer saber as qualidades e os pontos fracos deles? Siga em frente.

Hotel

Quem não gostaria de viver em um hotel? Piscina, alimentação balanceada, academia e lavanderia a um estalar de dedos. Suspeitamos que você adoraria essa opção, mas, geralmente, ela se aplica às pessoas que estão apenas como turistas ou têm obrigações de trabalho no exterior.

Ainda que haja redes de hotel low cost, com preços baratos de diária, com o passar das semanas você terá de desembolsar muito dinheiro para conseguir ter acesso a todo o conforto que essa escolha possibilita, como café da manhã, limpeza diária do quarto e demais serviços personalizados.

Se você está com o orçamento mais controlado, é melhor passar ao próximo tipo de acomodação intercambista.

Hostel

Os hostels se transformaram em um sucesso entre jovens viajantes nos últimos anos. A principal bola dentro dos hostels é, justamente, o quesito preço, uma vez que esse tipo de hospedagem oferece diárias a preço de banana. Outra comodidade é que há sites nos quais você pode já deixar reservada a sua cama no exterior, algo que, como você viu, não é possível nas tradicionais casas de família.

No entanto, como tudo tem um lado negativo, não seria diferente com os albergues: para baratear o valor da estada, muitas vezes será necessário dividir o quarto com desconhecidos. Quanto mais gente compartilha o espaço, mais barato ele fica ao final da vivência.

Outra coisa que você pode ter de enfrentar são os banheiros, que nem sempre são individuais nesses lugares. Quer ter mais privacidade no seu intercâmbio? Viver em uma república pode ser a deixa certa para você.

República

Antes de começar a escrever sobre esse tipo de acomodação é interessante fazer uma distinção: em países de língua inglesa, não confunda student residences com flatmates. Quer saber a diferença entre eles, né? Em termos práticos, student residences se relacionam com as nossas repúblicas no Brasil, já flatmates seria um tipo de vivência em casa ou apartamento alugado.

Se você deseja compartilhar a sua rotina com gente da sua idade, a student residence pode ser perfeita. Sobre o processo de escolha da casa podemos dizer que o sistema é praticamente igual ao que acontece em muitas cidades universitárias por aqui. A única restrição que se aplica é que você deve ser estudante para conseguir uma vaga, mas isso não é problema para quem deseja estar matriculado em um curso no exterior.

Tenha em mente que você também terá de respeitar regras básicas de convivência para se dar bem em uma student residence, uma vez que hábitos como lavar os pratos, ocupar-se do lixo e deixar o seu quarto minimamente organizado facilita na hora de conviver com pessoas tão diversas e com uma rotina tão apertada.

Apartamento

Por fim, você pode escolher um apartamento! Em países como a Irlanda, Austrália e Nova Zelândia, há várias opções de flatmates, desde os mais simples e rústicos até os mais modernos e aperfeiçoados. Aqui, você tem de olhar, como sempre, para o seu orçamento para poder escolher o que mais se adéqua ao seu bolso.

Compartilhar o espaço com outro estrangeiro pode ser ainda melhor para praticar o idioma e ainda reduzir os custos. Para buscar flatmates, você pode usar sites na internet e começar a corrida ainda mesmo no Brasil. Em locais como a Nova Zelândia, por exemplo, use Trademe para encontrar seu lar perfeito.

Expert em oferecer soluções de qualidade para estudantes internacionais, a 2Stay Accommodation é uma empresa de acomodação que oferece estrutura nova para acomodar os intercambistas em alojamentos modernos, confortáveis e seguros, garantindo uma experiência positiva e enriquecedora durante a sua estadia.

Com todas essas vantagens no jogo, temos certeza de que você ficou com vontade de arrumar as malas e morar em uma homestay, não é mesmo? Mas, antes de sair do país, confira abaixo um video especial que o pessoal da WEST 1 TV fez sobre o assunto e assine a nossa newsletter para estar por dentro do indispensável sobre o seu intercâmbio!

    Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

    Powered by Rock Convert
    Você também pode gostar

    Deixe um comentário