Conheça agora 8 mitos e verdades sobre a Nova Zelândia

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Conhecer alguns mitos e verdades sobre Nova Zelândia pode ajudar você a escolher o destino do seu intercâmbio. Por ser um dos últimos países a ser colonizado, ainda há muitas paisagens naturais no local. Situada a 20.000 km da Austrália, o país pode ser considerado receptivo e hospitaleiro, além de propício especialmente para os jovens aventureiros, devido aos seus esportes radicais.

Embora poucas pessoas escolham a Nova Zelândia para fazer o seu intercâmbio, trata-se de um destino que pode surpreender. A facilidade no visto, a qualidade de vida e a economia local podem se tornar bons motivos para fazer o seu intercâmbio por lá. Muitos estudantes, entretanto, ainda têm alguns receios, já que alguns mitos também rondam essa terra.

Para ajudá-lo a escolher com consciência, listamos abaixo alguns mitos e verdades sobre a Nova Zelândia.

1. O inglês é a língua oficial da Nova Zelândia — mito

Embora a Nova Zelândia ofereça ótimos cursos de inglês para intercambistas, essa não é a sua língua oficial. O idioma predominante ainda é o maori, uma língua austronésia, relacionada a um dialeto indígena falado nas Ilhas Cook. A linguagem utiliza o alfabeto latino, com apenas 14 letras e é falada pelos povos nativos.

Mas não se desespere! O inglês pode ser considerado como segunda língua e você conseguirá “sobreviver” por lá, mesmo sem falar o maori. Há ainda um terceiro idioma oficial: a linguagem de sinais da Nova Zelândia. Ainda que você embarque para um curso de inglês, quem sabe você não se anima a aprender um pouco sobre a cultura maori e algumas palavras no idioma.

2. Não é possível trabalhar durante o intercâmbio — mito

Alguns estudantes pensam em trabalhar durante o intercâmbio para ajudar nas despesas da viagem e adquirir uma experiência no mercado de trabalho no exterior. Há quem risque a Nova Zelândia da lista de opções de destinos para intercâmbio por acreditar que não é possível trabalhar no país durante o período de estudos.

Trata-se de mais um mito, já que, caso o curso escolhido tenha duração superior a 14 semanas, é possível sim, trabalhar! O limite permitido é de 20 horas semanais durante o período de aulas e a jornada integral nas férias. Portanto, caso escolha a Nova Zelândia para fazer o seu intercâmbio, prepare o seu currículo e batalhe por uma vaga no mercado de trabalho do país.

3. A Nova Zelândia é cheia de animais perigosos — mito

Há quem pense que ir para a Nova Zelândia é quase sinônimo de desembarcar no meio de uma selva, com animais selvagens de todas as espécies. Esse pensamento deriva do fato de que a Austrália é o berço de alguns animais peçonhentos, como algumas espécies de cobras e aranhas.

Contudo, colocar a Nova Zelândia “no mesmo pacote” é um grande equívoco. Não há praticamente nenhum animal peçonhento ou perigoso por lá (nem mesmo cobras), o que significa que você poderá dormir em paz e caminhar tranquilamente nos parques locais. Só é recomendado o uso de repelente por causa dos mosquitos.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

4. Os cangurus estão por toda parte — mito

A “terra dos cangurus” é a Austrália. Por essa razão, acontece mais ou menos o que citamos no tópico acima: as pessoas confundem e acreditam que também encontrarão esses simpáticos marsupiais na Nova Zelândia. Errado! Portanto, não embarque para lá acreditando que vai finalmente conhecer cangurus “ao vivo”, pois você pode acabar se frustrando.

5. A Nova Zelândia é coberta por florestas — verdade

Se você está a procura de ar de qualidade para respirar, está aí mais um motivo para embarcar para a Nova Zelândia. As florestas naturais recobrem praticamente 30% do país, o que representa um ótimo índice de conservação da fauna local. A vegetação pode ser considerada totalmente nativa da região, já que a poluição é quase inexistente por lá. Tal fator pode ser considerado sinônimo de qualidade de vida para quem busca um contato maior com a natureza.

6. Há mais ovelhas que pessoas na Nova Zelândia — verdade

Se a Austrália é a terra dos cangurus, podemos dizer que a Nova Zelândia é a terra das ovelhas então. O país pode ser considerado um dos menos populosos do mundo, com apenas 6 milhões de habitantes. Para se ter uma ideia da quantidade de ovelhas existente por lá, imagine que a proporção é de 7 para cada habitante.

7. A Nova Zelândia tem excelente estrutura para o turismo — verdade

Fazer um intercâmbio na Nova Zelândia pode ser sinônimo de conhecer todo o país. Existem pacotes turísticos padronizados que vão de Ilha Norte a Ilha Sul. Além disso, o país está preparado para receber pessoas do mundo todo. Para quem curte esportes radicais, por exemplo, Queenstown pode ser considerada a cidade com melhor infraestrutura do mundo no quesito.

Caso você seja adepto de programas mais tranquilos, será possível conhecer as incríveis belezas naturais do país. E você ainda tem a opção de “dar uma esticadinha” para a Austrália ou o Sudeste Asiático.

8. Não é necessário ter visto para ficar até 3 meses no país — verdade

Se o seu intercâmbio tiver duração menor que 3 meses, não será necessário se preocupar com o visto. Isso porque ele não é exigido para pessoas que permanecem por lá até esse limite de tempo. Entretanto, para não enfrentar problemas na imigração, você precisará apresentar um passaporte válido e as passagens de ida e volta, além de um comprovante de renda. Caso decida ficar por mais tempo, o processo para tirar o visto costuma ser simples.

São muitos os mitos e verdades sobre Nova Zelândia. Poderíamos prosseguir com o texto, transformando-o em uma lista enorme, se considerarmos que ainda há o cenário do Senhor dos Anéis, vinhos deliciosos e os kiwis (não estamos falando da fruta, mas de como os nativos locais são conhecidos). Embarcar para lá é sinônimo de descobrir tudo isso e ainda ter acesso às escolas de inglês que estão entre as melhores do mundo.

Se este post fez você sentir vontade de escolher a Nova Zelândia como destino para o seu intercâmbio, não deixe de ler também 7 motivos para fechar essa ideia.

 

Receba dicas exclusivas para planejar o seu intercâmbio!

Você também pode gostar

Deixe um comentário